quarta-feira, 2 de abril de 2008

Um Resto de Tudo



Desce pela avenida a lua nua
Divagando à sorte, dormita nas ruas
Faz-se de esquecida, a minha e tua
Deixando um rasto, que nos apazigua

Ouço esta musica, enquanto desço a rua principal da minha cidade, lojas de arquitectura já antiga, fechadas, e tristes, os Lampiões com a sua luz amarela brilham, dando um tom amarelo aos edifícios e a calçada portuguesa pela qual caminho lentamente

Sou um ser que odeias mas que gostas de amar
Como um barco perdido à deriva no mar
A vida que levas de novo outra vez
O mundo que gira sempre a teus pés
Sou a palavra amiga que gostas de ouvir
A sombra esquecida que te viu partir
A noite vadia que queres conhecer
Sou mais um dos homens que te nega e dá prazer
A voz da tua alma que te faz levitar
O átrio da escada para tu te sentares
Sou as cartas rasgadas que tu não lês
A tua verdade, mostrando quem és

Não consigo tirar te da cabeça, a letra da musica entra-me no ouvido, e aloja-se no meu cérebro, revejo este refrão quinhentas vezes num curto espaço de tempo em que só se ouve os violinos a tocar de uma forma melodiosa e suave. -Incrível, como os sentimentos são iguais- Conclui eu a pensar em como seria possível alguém sentir o mesmo que eu estou a sentir neste momento

Entra pela vitrina surrealista
Faz malabarismo a ilusionista
Ilumina o céu que nos devora
Já se sente o frio, está na hora de irmos embora

Aqui, não existem ilusionistas, apenas a monotonia de uma noite sombria, as luzes das vitrinas tão desligadas, e a única coisa que alegra o céu será as estrelas , um incrível numero de constelações a brilhar para nós a alegrar a luz da lua... O frio esse existe, e mais uma vez, penso em ti, em como te queria abraçar nesta gélida noite de forma a te sentires segura e quente ao sentires o calor do meu corpo.


Sou um ser que odeias mas que gostas de amar
Como um barco perdido à deriva no mar
A vida que levas de novo outra vez
O mundo que gira sempre a teus pés
Sou a palavra amiga que gostas de ouvir
A sombra esquecida que te viu partir
A noite vadia que queres conhecer
Sou mais um dos homens que te nega e dá prazer
Sou a voz da tua alma que te faz levitar
O átrio da escada para tu te sentares
Sou as cartas rasgadas que tu não lês
A tua verdade, mostrando quem és



Sou um ser que odeias mas que gostas de amar
Um barco perdido à deriva no mar
A vida que levas de novo outra vez
O mundo que gira sempre a teus pés
Sou a palavra amiga que gostas de ouvir
A sombra esquecida que te viu partir
A noite vadia que queres conhecer
Sou mais um dos homens que te nega e dá prazer
A voz da tua alma que te faz levitar
O átrio da escada para tu te sentares
Sou as cartas rasgadas que tu não lês
A tua verdade, mostrando quem és

Este refrão ecoa varias vezes no meu pensamento, Eu sou e tu és exactamente o aqui esta escrito, um sentimento descrito em um simples punhado de linhas, uma noite magica e perfeita, um sonho descrito ao pormenor, e o que sinto ao ouvir repetidamente esta estrofe.


Um resto de tudo
Que possa existir
Mostrando quem és
Um resto de tudo.

Pois és, Um resto De tudo, logo és simplesmente tudo o que possa existir concluo enquanto chego a casa, abro a porta e direcciono me ao meu quarto, deito me na minha cama e adormeço.............

P.S Deu me um click para escrever isto, infelizmente, não é um retracto fiel dos meus sentimentos, portanto escusam de perguntar quem é a pessoa a quem me dirijo pois essa não existe.

Existe uma coisa que gostava também de dizer, por vezes os meus textos são ambiguos, e por vezes a minha opinião parece contraditória, ou mesmo que me estou a desculpar, não é essa a minha intenção. Eu penso que nunca falei nisto aqui no blogue, mas se me repetir peço desde já desculpa, mas quando criei este blogue não foi só com o intuito de desabafar os meus problemas, mas sim também tentar ajudar quem o lê dai tentar ao máximo expor os meus problemas de uma forma neutra e tentar analisar os dois lados da questão, pois por vezes os textos são escritos tão a quente, que quero que as pessoas saibam que é só a minha opinião e é esse o valor dos textos, não sou dono e senhor da razão sou simplesmente mais uma pessoa que gosta de pensar por si só.

P.S. espero que gostem do novo look

2 comentários:

BloodyGirl (Alexandra) disse...

Que dizer? Apenas: UAU! Está lindo! *.*

Frankie disse...

Encantou-me.
(E olha que eu não gosto de João Pedro Pais por isso seria MESMO difícil eu dizer isto, mano)

Beijinho grande*