quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

The unnamed feeling!!


Por vezes uma pessoa sente coisas que não devia, ou melhor, não é que não devia, mas sim coisas novas, diferentes do que alguma vez se sentiu. Eh pah nessas alturas uma pessoa fica confusa e a parecer uma barata tonta, Ok no meu caso não há mudanças visto eu parecer sempre uma barata tonta, mas a minha atitude perante a vida e a minha postura não são para aqui chamadas hoje.

Eu podia estar aqui, usar mil palavras, e não iria descrever sentimento algum, todos eles desde os de ódio e rancor até aos de amizade e amor são simplesmente indescritíveis, portanto não o vou descrever, nem dizer o que sinto, afinal o que isso interessa, não é, toda a gente já sentiu, toda a gente já viu, não estamos a falar de sentidos mas de sentimentos, e toda a gente e sensível, uns mais outros menos, e os que ainda não sentiram um dia irão sentir.

O problema destas coisinha bonitas chamadas sensações, e que tira-nos a racionalidade por completo e temos atitudes realmente impensáveis, arriscadas, e por vezes estúpidas, mas por vezes também as atitudes irreflectidas ajudam, obrigam nos a transmitir sentimentos que racionalmente não transmitiria-mos.

Então ca temos o velho dilema, racionalidade? ou mesmo Sensibilidade? alguém sabe?? alguém tem a coragem de optar por uma só?

Hmmm na minha opinião não sei, tipo se uma pessoa jogar xadrez com a vida de uma maneira extremamente ponderada, eh pah de certeza que não nos iriam calcar tanto, mas por outro lado, não é tão bom ceder a uma paixão que nos põe completamente na lua, a sonhar, e da-nos um sorriso na boca, ou então ceder a raiva, e berrar num topo de uma montanha quando as coisas correm mal?? Não são experiências a viver??

Posso Morrer amanhã, posso até ser infeliz a partir de hoje, mas não me arrependo , pois entre as minhas experiências.. aprendi a jogar xadrez com o meu coração, sim jogo de uma maneira arriscada, ao ataque, e normalmente sinto, pondero e sinto outra vez , por vezes só sinto, por vezes só penso... Emfim "great misterys lyes in the human mind"

Eh pah deixem a vossa opinião...

3 comentários:

Jeust disse...

A nossa caixa de pandora - a mente humana.

É engraçado que digas que nenhum sentimento é descritível... pois sinto o mesmo.

Até porque nos comunicamos por ideias padrão... ideias que nos dizem tudo e ao mesmo tempo nada...

Images estáticas de realidades em movimento.

Por isso o melhor a fazer nem é falar deles... é senti-los... deixa-los invadirem-nos e tomarem-nos à força... e sentir, sentir como só nós podemos sentir. :)

Temos aqui o Gary Kasparov (não não sou eu) :p

Abraços e excelente texto...

andorinha disse...

Pois...a mente humana, uma caixinha extremamente complexa.
Racionalidade? Sensibilidade?
Por que não um misto das duas?
Conforme as circunstâncias uma ou outra terão um peso maior, mas ambas coexistem em nós.

E concordo com os dois, descrever sentimentos é muito complicado.
As acções, os gestos, os olhares, o toque dizem muito mais que tudo o resto.

E continua a jogar, miúdo, a vida é um jogo, também.

Beijinhos

Cândida disse...

eu muito gostava de ver o k é k voces fariam!

vai-te foder|